10 de jul de 2009

Sobre o futuro do jornalismo, das escolas e dos jornais

Repico na íntegra, por relevante, post do amigo e colega Rogério Christofoletti, do Monitorando. Tem a ver com formação jornalística. O post:

"O professor Larry Atkins, da universidades Temple e Arcadia, publicou ontem um artigo no Knight Digital Media Center com um sugestivo título: Não deixemos de lado as escolas de Jornalismo só porque os jornais estão em crise.

Atkins cita casos como o da Columbia University, que não vem sofrendo com o declínio dos jornais impressos e vem sim atraindo cada vez mais estudantes na sua escola de Jornalismo. “Mas como as escolas e os departamentos de Jornalismo estão acomodando este interesse às realidades em mudança da profissão?”, questiona Atkins. As respostas dadas pelas escolas têm vindo na forma de revisões curriculares, aumento na exigência de trabalhos nas disciplinas, e incentivo ao desenvolvimento de ações empreendedoras.

De acordo com algumas fontes do autor, mais oficinas práticas também estão sendo oferecidas pelos cursos, numa clara tentativa de simular situações reais da profissão. Eventos fora das universidades também têm sido “cobertos” pelos alunos, seguindo a mesma tendência. (O que me parece óbvio, e o que já se vem fazendo em muitas escolas de Jornalismo que conheço no Brasil)

O ensino com base em mídias sociais é também apontada pelo professor Atkins como uma tendência emergente forte nos cursos de Jornalismo norte-americanos.

Mas o que me chamou a atenção é o fato de professores e gestores olharem para fora de seus instituições, muito preocupados com a sobrevivência de seus cursos. Nos Estados Unidos, a queda nas tiragens dos jornais, a migração maciça de verbas publicitárias para outros meios e o vaticínio de que a imprensa está mesmo morrendo são fatores bem fortes que vêm abalando a confiança de quem produz jornalismo, de quem ensina e até de quem consome.

Por aqui, não temos essa crise ainda. Mas o fim da obrigatoriedade do diploma para exercer o jornalismo deve precipitar nas escolas preocupações semelhantes, e a busca de diferenciais de formação. Esta história está apenas começando… vamos acompanhar…"

Sobre o tema "crise nos jornais", recomendo a leitura do livro O Destino do Jornal: a Folha de S.Paulo, O Globo e O Estado de S.Paulo na sociedade da informação, de Lourival Sant'Anna (Record, 2008).

1 comentários:

Rogério Christofoletti disse...

Obrigado, Demétrio, pela repetição aqui. Também acho que o livro do Lourival é uma boa referência, até porque atualiza a bibliografia por aqui, é bem escrito, e trata da nossa realidade.
O livro "Os jornais podem desaparecer?", do Philip Meyer, também é uma boa pedida...
abs