30 de nov de 2010

1º EGEJ e 1º FSPJ inscrevem dia 15/12

As inscrições aos 1º Encontro Gaúcho de Ensino de Jornalismo (1º EGEJ) e 1º Fórum Sul-brasileiro de Professores de Jornalismo (1º FSPJ) se iniciam dia 15 de dezembro e se encerram dia 30 de janeiro de 2011. Os eventos serão realizados na Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), região Centro do Rio Grande do Sul, dias 8 e 9 de abril de 2011. O tema dos encontros será "A formação superior como elemento constitutivo e legitimador do campo do jornalismo".

São em número de três as modalidades de apresentação de trabalhos: comunicação científica, relato de experiência e pôster, esta última destinada a alunos de graduação, que devem assinar junto com o professor-orientador. Cada autor poderá inscrever somente um trabalho em cada um dos seis GTs que compõem o 1º EGEJ e o 1º FSPJ: Atividades de Extensão, Ensino de Ética e de Teorias do Jornalismo, Pesquisa na Graduação, Produção Laboratorial – Eletrônicos, Produção Laboratorial – Impressos e, finalmente, Projetos Pedagógicos e Metodologias de Ensino.

As proposições de trabalhos devem ser realizadas por meio de resumos encaminhados aos coordenadores dos GTs, nos e-mails e formatos disponíveis no site oficial dos eventos, link Regulamento. Uma vez recebendo o aceite, o que deve ocorrer até 28 de fevereiro de 2011, os trabalhos completos devem ser encaminhados aos coordenadores de GT até o dia 28 de março de 2011.

Mais informações sobre as regras de submissão de trabalhos podem ser obtidas desde já por meio do site http://hipermidia.unisc.br/egej/

Já o endereço no twitter é @egejornalismo

Tanto o 1º Encontro Gaúcho de Ensino de Jornalismo quanto o 1º Fórum Sul-brasileiro de Professores de Jornalismo são instâncias regionais do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ), cuja próxima edição está prevista para ocorrer na cidade mineira de Uberlândia, em 2012.

26 de nov de 2010

Sobre a palestra na UFPel

Este post é para agradecer a receptividade e o carinho que o pessoal da UFPel demonstrou na noite de quinta-feira, 25, por ocasião do 1º Seminário de Jornalismo da UFPel, cujo tema foi Os fazeres do jornalismo - perspectivas profissionais e acadêmicas.

Como contei outro dia, a mim coube falar do tema A formação jornalística em seu aspecto pesquisa para uma platéia atenta.

Um particular agradecimento aos professores da UFPel Ricardo Fiegenbaum e Michele Negrini (na foto abaixo, antes do início dos trabalhos), bem como aos alunos do curso de jornalismo (segunda foto), que fizeram igualmente bonito na organização do evento.


23 de nov de 2010

Pesquisa sobre revista Exceção

Já se encontra disponível a primeira pesquisa de opinião realizada com a Exceção, a revista-laboratório do Curso de Jornalismo da Unisc, realizada pelos alunos da disciplina de Jornalismo de Revista, por mim lecionada.

O questionário, desenvolvido pelas alunas do Curso de Relações Públicas da Unisc, busca saber, entre outros, o perfil dos leitores de Exceção, o que eles mais gostam na revista, como chegaram até ela etc.

Por falar em Exceção, a quinta edição (ela é anual), que ficará pronta logo ali adiante, receberá seu primeiro projeto gráfico-editorial desde que foi criada, há cinco anos.

Você pode acessar a pesquisa por aqui.

Pesquisa semelhante vem sendo realizada com o Unicom, jornal-laboratório desenvolvido na disciplina de Produção em Mídia Impressa da Unisc.

Para dar sua opinião a repeito do Unicom, basta entrar aqui e dizer o que você pensa.

21 de nov de 2010

Formação jornalística e pesquisa

Na quinta, 25, estarei na Universidade Federal de Pelotas (UFPel) palestrando no Primeiro Seminário de Jornalismo da UFPel, cujo tema é Os fazeres do jornalismo - perspectivas profissionais e acadêmicas.


O tema de minha fala, que se inicia às 19h30 do dia 25/11, no Auditório do Centro de Integração do Mercosul, será A formação jornalística em seu aspecto pesquisa.

O seminário está sendo organizado pelos professores da UFPel Ricardo Fiegenbaum e Michele Negrini.

20 de nov de 2010

Talentos da Comunicação tem início

Ontem, sexta-feira, demos início, no Curso de Comunicação da Unisc, do qual sou subcoordenador, a mais um projeto de extensão, o terceiro com este perfil no semestre.

Chama-se Talentos da Comunicação, e funciona em parceria entre o Curso de Comunicação e o Grupo Gazeta de Comunicação, aqui de Santa Cruz do Sul.

A idéia é que, no período de cinco semanas, os 11 alunos selecionados (o critério de seleção foi a participação em atividades acadêmicas de ensino, pesquisa e extensão) acompanhem e desenvolvam atividades junto aos veículos e setores que compõem o Grupo Gazeta.

Com isso, espera-se que interfiram, com seu conhecimento, no mercado de trabalho desde a instância formação, e que sejam interferidos por este, aprimorando um e outro.


Na foto de Nicolas Fraga, da direita para a esquerda, de pé, estamos eu, como coordenador do projeto pela Unisc; Lisane Mesquita Marques (jor); Larissa Gabe de Almeida (jor); Luciana Carvalho Bastos (pma); Luana Backes (jor); Joana Fernanda Scherer (jor); Yaundé Narciso (jor); Marília Gehrke (jor) e Josiane Aline Goetze (jor). Abaixadas, no mesmo sentido, Vanessa Britto (rp); Juliana Spilimbergo (jor) e Sabrina Eliana Rodrigues (fotog).

Os coordenadores do projeto pela Gazeta do Sul são Romeu Neumann, diretor de redação, e Maria Rosilaine Zoch Romero, chefe de redação.

19 de nov de 2010

Projeto Focas do Q? em vídeo

Abaixo, o registro em vídeo de um projeto de extensão cuja 6ª edição acaba de se encerrar e que promete muito ainda.


Trata-se do Focas do Q?, parceria entre o curso de Comunicação da Unisc e o jornal Gazeta do Sul, por meio do Caderno Q?, desenvolvido há seis semestres consecutivos.

Funciona assim: por um período de um mês a 60 dias, alunos de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas, produção em mídia audiovisual e fotografia - as habilitações do Curso de Comunicação da Unisc -, após de submeterem a processo de seleção, encarregam-se de dar conta de uma edição do Caderno Q?, suplemento jovem da Gazeta do Sul.

A idéia é que, com esse movimento, de natureza convergente, haja um intercâmbio de conhecimentos entre academia e mercado de trabalho, modificando positivamente um e outro.

Pela Unisc, coordeno eu; pela Gazeta, Jansle Appel Jr. 

O vídeo foi editado por Luciane Bastos e Carine da Silva, com imagens realizadas por Elio Brixius, Estéfani Vieira e Luciane Bastos.

 Explica, por meio de depoimentos bem bacanas, tanto o Caderno Q? quando o projeto Focas do Q?

18 de nov de 2010

Despedida de Andy Irons


Cheguei ao vídeo aí de cima por meio de um post de minha amiga Evânia Reichert no Facebook.

Sobre a cerimônia de despedida de Andy Irons, um mito na  história do surf moderno, tricampeão mundial, morto recentemente, aos 32 anos, em decorrência de uma virose qualquer.

Uma das cerimônias de despedida mais bonitas que já vi.

16 de nov de 2010

Os olhos e ouvidos da ditadura

Com a proximidade do final de semestre, e o natural acúmulo de tarefas, com o perdão do adjetivo, torna-se cada vez mais complicado dispor de tempo para escrever o que quer que seja, mas a gente tenta.

Todo este trololó é pra dizer que você, caro leitor, cara leitora, DEVE ler este Os infiltrados: eles eram os olhos e os ouvidos da ditadura, pela AGE (2010) e assinado por Carlos Etchichury, Carlos Wagner, Humberto Trezzi e Nilson Mariano.


A moçada da foto aí debaixo, todos eles repórteres tão reconhecidos quanto premiados, compilaram em livro série de reportagens publicada originalmente em Zero Hora, que, como o nome sugere, trabalha um aspecto pouco conhecido do período de exceção: os agentes que se infiltravam nos movimentos sociais para, digamos assim, saber quem fazia o quê e por quê por motivos relativamente óbvios.

O texto é interessante também porque, ao final de cada capítulo, os autores/repórteres comentam como a reportagem foi realizada, as dificuldades, achados etc.

Etchichury, Wagner, Trezzi e Mariano
Mais que isso só lendo o livro.

O portal ClicRBS disponibilizou um infográfico bem bacada. Confira por aqui.

A ficha:

ISBN: 9788574975016
Edição: 1
Nº Paginas: 126
Formato: 14x21cm
Ano Edição: 2010
Preço: R$ 29,00

13 de nov de 2010

Vai um guaraná Jesus aí?

O 8º Encontro da Associação Brasileira de Pesquisadores de Jornalismo (8º SBPJor), que se realizou esta semana, em São Luis, no Maranhão, foi particularmente proveitoso, tanto pelo que se fez e planejou ao longo do evento - sobre o quê falarei à medida que as novidades forem se consolidando - como pelo que se viu no entorno do congresso.

Refiro-me à um refrigerante chamado Guaraná Jesus, que é cor-de-rosa, tem gosto de groselha e só é vendida no Maranhão, até onde sei.

Reza a lenda que a dita gasosa possui essa graça não por questões de natureza, digamos, divina, mas porque Jesus era o nome do sujeito que desenvolveu a fórmula, um farmacêutico.

E que foi comprado,  o refrigerante, pela Coca-cola, muito provavelmente por sua importância no cenário local, o que não é, penso, algo para se comemorar, ainda que deva ter enchido as burras do tal homem de farmácia, caso contrário acho que não teria sido vendido.

O registro aí debaixo é de Raquel Longhi, feito com um iPhone em uma restaurante chamado Feijão de Corda, na orla de São Luis.

4 de nov de 2010

Processualidade complexificadas

O livro Midiatização e processos sociais: aspectos metodológicos (Edunisc, 2010), organizado por Antônio Fausto Neto, Jairo Ferreira, José Luiz Braga e Pedro Gilberto Gomes, com prefácio de minha lavra, será lançado dia 13 de novembro, às 16h30, na Feira do Livro de Porto Alegre.


Abaixo, um trecho do prefácio:

"Este livro representa bem mais que a compilação das discussões realizadas de 19 a 21 de novembro de 2009 na Universidade do Vale do Sinos (Unisinos), por ocasião do seminário “Midiatização e Processos Sociais – Aspectos Metodológicos”, promovido pela Rede Prosul. Trata-se, antes, de um importante marco referencial nas buscas que pesquisadores do Brasil, Colômbia, Argentina e Uruguai têm realizado nos últimos cinco anos em torno do fenômeno da midiatização.

O estágio evolutivo da pesquisa é diferenciado porque, uma vez tendo-se auscultado, observado e discutido a midiatização de forma sistemática por meio de encontros, publicações e discussões as mais diversas – e considerando-se, ainda, que esta etapa não se encerra nestes movimentos –, parte-se, agora, para a instrumentalização metodológica da investigação.

Ou seja, para a organização de ferramental adequado que permita, ao que pesquisa a midiatização, ou acompanha de perto as discussões a respeito do tema, estabelecer os cruzamentos necessários entre as reflexões que realiza e os objetos-alvo de suas dúvidas, emprestando, dessa forma, mais amplitude ao conhecimento resultante dessa processualidade.

O livro 'Midiatização e Processos Sociais – Aspectos Metodológicos' ganha ainda mais relevância à medida que a midiatização, aqui entendida como a instauração de uma nova ambiência na sociedade a partir de um cenário específico, de matizes sócio-técnico-discursivos, representa mais que um fenômeno de contornos em movimento: trata-se, antes, de processualidades que se complexificam a cada momento, de forma ininterrupta, constante, afetando e sendo afetadas neste movimento; exigindo, como dissemos, daquele que pesquisa, mais que versatilidade conceitual, novos e sucessivos instrumentais analíticos.

Some-se a isso o fato de a midiatização da sociedade ser percebida por pesquisadores locados em um campo cujas fronteiras são limítrofes aos demais campos do conhecimento, caso da comunicação, e veremos, então, que se trata de um momento diferenciado o que se segue, e que requer, portanto, gramática explicativa adequada, à revelia do âmbito que estejamos falando. (...)"

A ficha:

Organizadores: Antônio Fausto Neto, Jairo Ferreira, José Luiz Braga e Pedro Gilberto Gomes
Área: Ciências Sociais Aplicadas
Ano: 2010
Páginas: 192
Formato: 14x21cm Brochura
ISBN: 978-85-7578-280-4
Categoria: Ciências Sociais Aplicadas
Código: 96751
Preço: R$ 33,00

Rede JorTec lança seu primeiro livro

A Rede de Pesquisa Aplicada em Jornalismo e Tecnologias Digitais – JorTec – lança seu primeiro livro, Produção e Colaboração no Jornalismo Digital, que reúne o trabalho de 16 pesquisadores de 10 distintas instituições de ensino e pesquisa.


O livro busca evidenciar, por meio dos Núcleos de Pesquisa da Rede JorTec (Tecnologia, Interface, Narrativas e Colaboração), algumas das mais importantes questões para a prática contemporânea do jornalismo digital.

É ocaso da integração qualificada do leitor no processo de produção jornalístico, possibilidades de interatividade, narrativa e visualização do conteúdo, diferenciações do processo de produção, modelos de negócio e possíveis tecnologias aplicadas ao jornalismo digital.

O lançamento ocorre no 8º Encontro da Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (8º SBPJor), no dia 9 de novembro, terça-feira, às 20 horas, em São Luis, Maranhão.

Oficializada pela SBPJor em janeiro de 2009, a Rede JorTec vem sendo articulada desde o início de 2007 com o intuito de produzir pesquisa aplicada visando à experimentação e criação de inovações tecnológicas digitais nos processos de captação, produção, empacotamento, transmissão e distribuição de conteúdos jornalísticos nas convergentes plataformas comunicacionais. Para isso, conta com pesquisadores de diversas regiões e universidades brasileiras.

Livro:
Produção e Colaboração no Jornalismo Digital

Autores:
Alvaro Bufarah Junior, Ana Maria Brambilla, Ben-Hur Correia, Carla Schwingel, Carlos d’Andréa, Carlos Eduardo Franciscato, Carlos A. Zanotti, Dijna Andrade Torres, Diólia de Carvalho Graziano, Fernando Firmino da Silva, Gabriele Maciel, Getúlio Cajé dos Santos, Jorge Rocha, Marcelo Träsel, Raquel Ritter Longhi, Walter Teixeira Lima Junior

Organizadores:
Carla Schwingel e Carlos A. Zanotti

Editora Insular
Preço capa: R$ 35,00