28 de nov de 2009

Belos motivos para celebrar a 7ª SBPJor

O 7º Encontro Nacional de Pesquisadores de Jornalismo (7ª SBPJor), que se encerrou na sexta, 27, na ECA/USP - São Paulo - foi particularmente importante para mim por pelo menos quatro grandes motivos, que passo a enumerar a seguir em ordem cronológica de acontecimentos.

1º Grande motivo
Porque na mesa que coordenei/integrei, na quinta, 26, havia dois trabalhos cujo tema era a midiatização: o meu, intitulado Auto-referência e co-referência nas páginas do jornal Folha de S.Paulo, e o de Daiane Bertasso Ribeiro/Maria Ivete Fossá, ambas da UFSM, cujo título é Estratégias de Imagem em discursos jornalísticos.

Trata-se de um marco importante este, à medida que a midiatização, como abordagem teórica para compreensão das complexificações que se estabelecem no jornalismo em um contexto de profunda imersão tecnológica como o que nos encontramos, é tema por demais recente, não obstante os reconhecidos esforços de pesquisa realizados neste sentido.

Abaixo, registro de minha apresentação (infelizmente não tenho o crédito da fotógrafa).


2º Grande Motivo
Ainda na quinta, mas às 20 horas, realizamos, Fernando Firmino e eu, o lançamento do livro Metamorfoses jornalísticas 2: a reconfiguração da forma (Edunisc, 2009). Para além do fato de todos os exemplares levados ao encontro terem sido comercializados, o que é bom em muitos sentidos, ficamos muito felizes - Firmino e eu - pela presença de tantos e tão queridos amigos presentes na sessão de autógrafos. Também estavam por lá os co-autores Águeda Cabral, Carlos D'Andréa e Fabiana Piccinin.

A foto é de Fabiana Piccinin. Nela, Firmino é cumprimentado por Rogério Christofoletti, enquanto eu autografo mais um livro lá atrás.


3º Grande Motivo
A eleição da nova diretoria da SBPJor, da qual faço parte na condição de integrante do Conselho Administrativo.

Haveria muito a ser dito a este respeito, mas resumirei da seguinte forma: sou jornalista há mais de duas décadas. Nunca fui, neste período, outra coisa que não jornalista, seja em termos de redação, pesquisa ou sala de aula. Equivale a dizer que me sinto extremamente honrado por integrar, na condição de componente diretivo-organizacional, a Associação Brasileira dos Pesquisadores de Jornalismo.

A foto da posse, abaixo e antes da nominata completa da nova diretoria executiva, foi "tirada" por Marcos Santuário.


Presidente: Carlos Eduardo Franciscato (UFS)
Vice-Presidente: Beatriz Becker (UFRJ)
Diretora Científica: Cláudia Quadros (UTP)
Diretora Administrativa: Kenia Maia (UFRN)
Diretora Editorial: Tattiana Teixeira (UFSC)
Conselho Administrativo: Demétrio Soster (UNISC), Márcia Franz Amaral (UFSM) e Victor Gentilli (UFES)
Conselho Científico: Alfredo Vizeu (UFPE), Antonio Hohlfeldt (PUCRS), Christa Berger (UNISINOS), Fernando Resende (UFF), Iluska Coutinho (UFJF), José Luiz Aidar Prado (PUC-SP) e Rogério Cristofoletti (UFSC).

4º Grande Motivo
Este ainda é segredo. Mas começa a ser gestado em parceria com Gerson Martins e Vitor Gentilli. E promete, por relevante.

A cobertura do 7ª SBPjor por ser conferida, via blog, por aqui.

24 de nov de 2009

Encontro de Professores de Jornalismo

Repasso, por relevante, e-mail do colega Gerson Luiz Martins:

"A Universidade Católica de Pernambuco será a sede do 13º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo, em abril de 2010. Esta é a primeira vez que o evento acontecerá no Recife, e a quarta, no Nordeste. A programação contará com painéis, mesas-redondas, conferências e grupos de trabalho, em torno, principalmente, do novo contexto midiático, isto é, das inovações tecnológicas e as mudanças das diretrizes curriculares no Ensino Superior.

Dentro da programação do 13º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo, serão promovidos o 4º Encontro Nacional dos Coordenadores de Cursos de Jornalismo, o 9º Pré-fórum da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), o 6º Colóquio da Agência de Notícias dos Direitos da Infância e o 2º Colóquio Iberoamericano de Professores de Jornalismo. O evento, também, compreenderá as eleições da nova diretoria do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ).

De acordo com o professor Ricardo Mello, diretor da Regional Nordeste 1 do FNPJ e vice-presidente do Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco, a escolha da Católica deve-se à tradição e à estrutura do seu curso de Jornalismo. “No último evento, em Belo Horizonte, tivemos o indicativo do Recife como uma das possíveis sedes em 2010. Então, a diretoria executiva do Fórum aprovou a proposta do Reitor, Padre Pedro Rubens, que destacava o pioneirismo e a importância da graduação, que completará 49 anos”, contou.

Para Mello, o encontro é vital para a discussão do exercício e do estudo do jornalismo no Brasil, sobretudo diante do novo contexto da profissão. “Devemos valorizar todo evento que possa mobilizar profissionais, estudantes e professores para discutir as perspectivas do trabalho, em torno das novidades tecnológicas e das mudanças no ‘fazer’ jornalismo.” No tocante ao papel da Católica como sede do evento, afirmou: “É fundamental que haja o encontro de docentes e alunos na Universidade, a casa da troca de conhecimentos. Isso permite o intercâmbio das pesquisas e resultados e, consequentemente, a melhoria da formação e da prática jornalística”.

O coordenador do curso de Jornalismo da Católica, professor Alexandre Figueirôa, enfatizou o significado de um encontro nacional para o Recife e a Universidade. “Trata-se de um evento importantíssimo, a possibilidade de trazer à cidade um espaço de discussão e reflexão sobre as principais questões que envolvem a prática e o ensino do jornalismo. É bom lembrar que os professores precisam estar atualizados com os assuntos acadêmicos e políticas de comunicação, porque são responsáveis pela formação dos futuros profissionais”, avaliou.

Para Figueirôa, o Encontro Nacional dos Professores de Jornalismo surge como uma prévia para as comemorações dos 50 anos do curso da Católica, que serão completados em 2011. “Será uma espécie de abertura para as festividades, cujo início oficial acontecerá no Congresso da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares de Comunicação (Intercom) 2011, também a ser realizado na Universidade. Esses eventos comprovam a nossa tradição de graduação de Jornalismo mais antiga do Norte e Nordeste”, concluiu.

A marca do encontro, que ilustra esta reportagem, é de autoria da professora Carla Teixeira, também do curso de Jornalismo da Católica. Segundo ela, a imagem tem, como inspiração, uma paisagem-símbolo do Recife (Rua da Aurora e Rio Capibaribe) e elementos de identidade local – entre eles, o efeito de xilogravura, típica da literatura de cordel, obtido através da vetorização da figura".

Mais lançamentos do Metamorfoses 2

O livro Metamorfoses Jornalísticas 2: a reconfiguração da forma (Edunisc, 2009) será lançado em Santa Cruz do Sul dia 5 de dezembro, sábado. A sessão de autógrafos se realiza a partir das 10 horas na Livraria Iluminura, Centro de Santa Cruz do Sul (Rua Borges de Medeiros, 471).

A obra, que também será lançada às 20 horas do dia 27 de novembro, no 7º Encontro Nacional dos Pesquisadores de Jornalismo (7º SBPJor), em São Paulo, é organizada por Demétrio de Azeredo Soster e Fernando Firmino da Silva. O prefácio é de Alex Primo, da Ufrgs.

Trata-se de um livro indispensável para professores, estudantes, pesquisadores e profissionais para pensar as transformações pela qual o campo do jornalismo passa nos seus aspectos de produção, distribuição e recepção de conteúdo com os processos de digitalização, convergência e de multiplicação de plataformas midiáticas.


Catorze autores, especializados em suas respectivas áreas, lançam olhares e questões sobre os fenômenos emergentes em torno do jornalismo contemporâneo com a crescente complexificação de seus processos. Infografia, midiatização, jornalismo móvel, blogs, wikipédia, radiojornalismo, telejornalismo, redes sociais, gêneros, fotojornalismo e documentários são alguns dos temas tratados nesta edição.

O livro é composto pelos seguintes autores-pesquisadores: Alex Primo (apresentação), Lia Seixas, Raquel Recuero, Cláudio Paiva, Carlos D’Andrea, Fernando Firmino da Silva (org.), Antônio Fausto Neto, Demétrio de Azeredo Soster (org.), Jairo Ferreira, Fabiana Piccinin, Águeda Miranda Cabral, Adriana Alvez Rodrigues, José Afonso Júnior, Nelia Del Bianco e Jair Giacominni.

Anota aí:

O quê: Lançamento do livro Metamorfoses Jornalísticas 2: a reconfiguração da forma (Edunisc, 2009)
Quem: Demétrio de Azeredo Soster e Fernando Firmino da Silva (Organizadores)
Quando: 5/12 (sábado, 10 horas)
Onde: Livraria Iluminura, Centro de Santa Cruz do Sul

Novo Enfoque Vila Brás está pronto

Mais produção-laboratório, desta vez dos alunos do curso de jornalismo da Unisinos, onde também leciono. Trata-se do Enfoque Vila Brás, produção dos alunos e alunas da disciplina de Redação Experimental em Jornal.

Todos os semestres, a galera visita, em três sábados distintos, a Vila Brás, um dos núcleos mais carentes de São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre. Desta visita nescem os jornais e o conteúdo do Blog Enfoque Vila Brás, que, por sinal, foi premiado este ano no SET Universitário da PUC.

A diferença, nesta edição, é que realizamos um caderno jovem.

Abaixo, as capas. As edições em PDF estão disponíveis no Portal 3.


19 de nov de 2009

Metamorfoses será lançado em Santa Cruz

18 de nov de 2009

Metamorfoses 2 está à venda on-line

O livro Metamorfoses jornalísticas 2: a reconfiguração da forma (Edunisc, 2009), organizado por mim e por Fernando Firmino da Silva, já pode ser adquirido pelo site da editora. O preço é R$ 40,00.

Entre por aqui ou pela capa da coluna "Livros que recomendo", no alto do blog, à direita.

Para maiores informações sobre distribuição e compra, basta entrar em contato com Roque, responsável pela área junto à editora, pelo e-mail roquesantos@unisc.br ou pelo fone (51) 3717.7665.

15 de nov de 2009

Metamorfoses 2 lançado em Porto Alegre

O registro abaixo diz respeito ao primeiro lançamento do Metamorfoses jornalísticas 2: a reconfiguração da forma (Edunisc, 2009), ocorrido às 18h30 de ontem, na 55ª Feira do Livro de Porto Alegre.


Tarde abafada, prenunciando chuva, mas, sobretudo, boa; extremamente agradável, repleta de abraços amigos e reencontros os mais diversos, como convém a um lançamento e a uma feira do livro.

Agora é aguardar o encontro da SBJor, na USP, para o próximo lançamento, desta vez ao lado de Fernando Firmino da Silva, também organizador desta obra, e dos co-autores que por lá estiverem.

Na seqüência, está programado, ainda, para o início de dezembro, um novo lançamento, desta vez em Santa Cruz do Sul. Assim que a data estiver definida, aviso vocês.

Em tempo: a foto é de Verônica Sallet Soster, que aguentou bravamente, ao lado do pai, a maratona literária de ontem à tarde.

13 de nov de 2009

Redefinindo os gêneros jornalísticos

Repico, por relevante, post do Blog Monitorando. Sobre o lançamento do livro Redefinindo os gêneros jornalísticos: proposta de novos critérios de classificação, escrito a partir da tese de doutorado de Lia Seixas. O livro pode ser baixado em PDF ou adquirido em papel.

Abaixo, o primeiro parágrafo da introdução:

"Aprender a fazer jornalismo é aprender a produzir gêneros jornalísticos. O conhecimento mais profundo dos elementos que constituem os tipos mais frequentes de composições discursivas da atividade jornalística pode implicar em maior conhecimento sobre a própria prática. Isso significa conhecimento sobre as competências empregadas para a realização da atividade, desde a produção à publicação do produto. Com as novas mídias, surgem novos formatos, se hibridizam, se embaralham os gêneros. A noção de gênero entra, mais uma vez, em cheque. Por isso mesmo passa a ser vista com mais atenção. Alguns gêneros podem acabar, outros podem aparecer. Alguns se transformam, outros se mantêm. Com as novas mídias, as práticas discursivas passam a experimentar e produzir novos formatos, que podem se instituir ou não em novos gêneros.(...)"

Lia Seixa integra o livro Metamorfoses jornalísticas 2: a reconfiguração da forma (Edunisc, 2009), organizado por mim e por Fernando Firmino da Silva.

O fim dos meios massivos

A sugestão de leitura da semana chega por meio de Marcos Palacios, via twitter (@palacios49).

Trata-se de uma resenha assinada por Damián Fraticelli com base no livro "El fin de los medios masivos: el comienzo de un debate", de Mario Carlón e Carlos Scolari (CRUJIA, 2009). O texto foi veiculado no site Portal de La Comunicación.

O que está em pauta, aqui, é a crise dos meios de comunicação social (que eles ainda chamam de comunicação de massa) a partir do momento em que a internet se estabelece no cenario midiático-comunicacional.

Chama atenção o fato que os autores anunciam, no livro, uma espécie de mudança de forma no cenário, em que um modelo há pouco assentado em uma perspectiva massiva (um para muitos) dá lugar a um sistema de comunicação, ainda em formação.

Isso, de certa forma, converge para a discussão que temos proposto desde há algum tempo, ou seja, de que para se pensar em comunicação, particularmente no que ela tem de jornalística, é preciso refletir em termos de sistema.

Vou encomendar o livro. Assim que tiver lido, comento-o para além da resenha.

A ficha:

CARLÓN, Mario; SCOLARI, Carlos A.
El fin de los medios masivos: el comienzo de un debate
Buenos Aires: Crujía, 2009-267 páginas

7 de nov de 2009

Unicom retrô está um arraso

A primeira edição do Unicom deste segundo semestre de 2009, cuja temática é "retrô", não apenas está pronta como ficou linda, muito linda. O Unicom é o jornal-laboratório do curso de jornalismo da Unisc, onde também leciono.

A idéia, desta vez, foi trabalhar em cima do tema "passado no presente", o que exigiu malabarismos de toda a ordem da moçada envolvida no processo. Mas valeu a pena: difícil mesmo é dizer qual matéria ficou mais interessante, seja do ponto de vista jornalístico-editorial ou em termos de planejamento gráfico.

Estou falando de histórias envolvendo pessoas que escrevem cartas ao invés de mandar e-mails e torpedos, de gente que não troca o LP por nada nesse mundo e daqueles barbeiros cujo corte e barbear fazem deles verdadeiros artistas de seu ocício, para ficarmos em três. O mesmo em relação a uma fotonovela que responde à tão popular quanto mítica pergunta "quem matou Odete Roitman?".

Para além do trabalho dos alunos da disciplina de Produção e Mídia Impressa, que leciono, nada disso teria sido possível sem a parceria do pessoal da publicidade entre nós. Refiro-me, nominalmente, a Mariana Pellegrini, que fez a ilustração da capa, e a Henrique Scherer, que cuidou da direção de arte, publicidade e logotipo.

No que diz respeito à moçada do jornalismo, os merecidos créditos vão para Emanuelle Dal-Ri (Editora); Wesley Soares (Subeditor); Aline Silva e Tiago Garcia (Produção); Luana Rodrigues e Tatiane Lawisch (Edição de Fotografia); Ana Paula de Andrade (Diagramação); Maria Clara Reis (Fotografia e Ilustração); Larissa Griguc (Edição de Imagens); Álvaro Neuwald e Nairo Orlandi (Revisão).

Cuidaram da reportagem Aline Silva, Álvaro Neuwald, Emanuelle Dal-Ri, Luana Rodrigues, Maria Clara Reis, Nairo Orlandi, Tatiane Lawisch e Wesley Soares. A coordenação foi deste que vos tecla.

A todos vocês, portanto, meu reconhecimento pelo excelente trabalho realizado, que pode ser conferido em PDF por aqui.

Quem quiser um exemplar e não estiver em Santa Cruz do Sul, é só escrever para a coordenação do Curso de Comunicação, localizada na Sala 1506, Bloco 15 da Unisc, que fica na Avenida Independência, 2293, Bairro Universitário, Santa Cruz do Sul (RS), CEP 96815-900. O telefone é (51) 37158850.

3 de nov de 2009

Espero vocês na 55ª Feira do Livro