23 de jun de 2010

Das dúvidas de cada um

No serviço psiquiátrico criado especialmente para receber aqueles que passaram dessa para outra em meio a um turbilhão de dúvidas não resolvidas, desacordos gerais e incompreensões as mais diversas, o profeta se perguntava, ainda na sala de espera, se tudo isso não seria meio assim quem sabe.

12 de jun de 2010

Sobre os dias que estão por vir

Escrevo para dizer que este blog dará um tempo pelo espaço de uma semana, a contar deste domingo, quando pego a estrada em direção a Florianópolis.

Semana que exigirá sobretudo resistência, artigo sempre necessário aos que, como eu, são professores e insistem em sobreviver aos sucessivos finais de semestre de nossa vida.

Dos dias que estão por vir, destaco a terça, 15, por dois motivos:

1 É quando o Brasil estréia na Copa.

2 Dia de meu 43º (!) aniversário.

Sobre o Brasil, não há muito o que ser dito que não torcer.

Já as demonstrações de carinho, afeto e parceria guardo desde já em meu coração, caso da que a moçada da Unisc, sabendo que eu estaria on the road, realizou às 18h30 de sexta-feira, 11, literalmente de surpresa (fui preparado para uma reunião na reitoria!).

A foto aí debaixo, da Sulimar Fogaça, registra o momento:


Valeu, gente!

10 de jun de 2010

Pior é que o negócio é sério

Então tá combinado: se você enxergar a moçoila aí da matéria entre em contato imediatamente com a polícia de Londres.

Do UOL Notícias.


Pior, como comentou há pouco o colega aqui da Unisc Gerson Lima Leme, é que o troço é sério.

7 de jun de 2010

Também há gente na Globo

Estou ficando deveras preocupado: a cada dia que se passa, a Globo dá sérios indícios que sua programação é feita por gente, ainda que às vezes não pareça.

4 de jun de 2010

Legal ou não, humano: eis o que falta

Sinais de vida no planeta tevê.

Carla Vilhena, jornalista e apresentadora do "Bom Dia, SP", da Globo, disse que as pessoas que picham símbolos pela cidade, e aqueles que entendem os símbolos, são idiotas.

Pode não ser educado ou elegante, mas é humano, tipo coisa que só gente comete, artigo cada vez mais raro na mídia.