31 de out de 2008

Segundo Enfoque do semestre está disponível

A capa aí ao lado é do segundo jornal Enfoque Vila Brás deste semestre, produzido por minha turma de Projeto Experimental em Jornalismo, da Unisinos, onde também leciono. Trata-se de um jornal-laboratório de caráter popular feito na Vila Brás, uma das mais carentes de São Leopoldo. Entre na edição em PDF por aqui.

27 de out de 2008

Mais é igual no UOL


Sempre achei que o adjetivo "maior" se referisse a uma diferença, ou, conforme explica o Aurélio, ao "que excede outro em tamanho, espaço, intensidade, duração, grandeza, número, importância etc.; máximo, superior". O UOL, pelo visto, não pensa da mesma forma.

26 de out de 2008

Reunião discute exigência do diploma para jornalistas

Transcrevo na íntegra, por relevante, newsletter recebida agora pela manhã da Sociedade Brasileira dos Pesquisadores de Jornalismo (SBPJor), assinata pelo presidetente, Carlos Franciscato, dando conta de reunião com o Ministro da Educação a respeito da exigência do diploma para jornalistas exercerem sua profissão. Diz o texto:
"A SBPJor, a Fenaj e o FNPJ tiveram, nesta quinta-feira, dia 23, uma audiência com o ministro de Educação, Fernando Haddad, em Brasília, para discutir a formação superior em jornalismo. Vou repassar um breve resumo das questões colocadas na reunião, particularmente as posições expressas pelo ministro acerca do tema:
1) O ministro informou que o MEC não está trabalhando com uma hipótese de formular uma proposta que substitua a formação graduada em jornalismo: “Queremos que os jornalistas continuem sendo formados em cursos de graduação, é uma área específica de conhecimento”;
2) Sua preocupação é com a qualidade do ensino em jornalismo, pois considera existirem deficiências na formação graduada. Para ele, o jornalismo é um dos quatro cursos fundamentais ao funcionamento do Estado democrático (os outros três são Medicina, Pedagogia e Direito) e, por isso, o MEC entende necessário estimular uma reavaliação das diretrizes curriculares de jornalismo;
3) O MEC avalia que esta discussão independe da votação, pelo STF, da exigência do diploma, e o Ministério não pretende se envolver nesta temática específica: “Nosso problema é de formação, não de exercício profissional”;
4) O Ministério está propondo a formação de uma comissão de especialistas para fazer uma revisão das diretrizes curriculares. Esta comissão seria formada por pessoas com duplo conhecimento sobre o jornalismo: acadêmico e profissional. SBPJor, Fenaj e FNPJ poderiam indicar nomes, a título de sugestão, para compor esta comissão, a qual elaboraria um documento a ser encaminhado ao Conselho Nacional de Educação, que deliberaria sobre as novas diretrizes. Com estas novas diretrizes, o MEC espera ter uma “métrica de qualidade” em jornalismo;
5) O MEC estuda também a possibilidade de adotar uma inovação para os cursos de graduação em geral, instituindo o que ele chamou de “dupla diplomação”: mecanismos para possibilitar que uma pessoa, ao adquirir formação em uma área de conhecimento, tivesse facilitadas as condições para obter uma segunda graduação. Para o ministro, esta fórmula poderia ser aplicada em algumas áreas da graduação, particularmente em jornalismo. A comissão poderia se debruçar também sobre esta temática;
6) Em uma rápida reunião após a audiência, as três entidades avaliaram que a audiência foi positiva e que seria adequado apresentarmos ao MEC a sugestão de uma lista conjunta para a composição desta comissão do Ministério, ressaltando que as indicações tenham um caráter de sapiência no campo acadêmico e profissional do jornalismo e sem um vínculo necessariamente institucional às entidades."

25 de out de 2008

Jornalismo popular em ação

As moçoilas aí da fotos são, repectivamente - Auryane Santos Borges (esq.) e Patrícia Gastmann -, alunas bem bacanas da disciplina de Projeto Experimental em Jornalismo da Unisinos, onde também leciono. A foto é de outubro, "tirada" não lembro por quem na Vila Brás, em São Leopoldo, onde realizamos uma experiência de jornalismo popular neste semestre. Você pode conferir o processo, e ter acesso ao jornal Enfoque,resultado desta experiência, em PDF, pelo Blog do Enfoque Vila Brás.

Família linda a minha, não?

A foto em questão foi "tirada" no escritório aqui de casa, dia desses do mês de outubro. Vamos combinar, somando-se à Fabi e ao Pedro a Verônica, que mora em São Leopoldo com a mãe, trata-se de uma família bem linda esta minha, não é verdade?

22 de out de 2008

E cresce este tal de Pedro...

O rapaz da foto aí ao lado está com 7,3 quilos (peso de sete meses) e 68 centímetros (tamanho de oito meses). Detalhe: completou três meses fora da barriga de sua mãe dia 19 de outubro. Precisa dizer o que quer que seja?

18 de out de 2008

Unicom aborda a morte e suas faces

A moçada da Unisc, by Santa Cruz do Sul, onde também leciono, matou a pau na última edição do ano do Unicom, nosso jornal-laboratório. A temática, como eu já havia adiantado em post anterior por meio da capa, é a morte. Vejam com seus próprios olhos. Clicando na imagem vocês têm acesso à versão em PDF do Unicom. Quer acompanhar o processo por meio do qual ele foi construído? Vai no Blog do Unicom. Abraço a todos e bom final de semana.
Os merecidos créditos:
Editora: Letícia Mendes; produção: Daiane Balardin, Marisa Lorenzoni, Utaipã Rodrigues, Vanessa Britto e Viviane Moura; reportagem: Ana Flávia Hantt, Daiane Balardin, Guilherme Mazui, Heloísa Letícia Pool, Josiléri Linke Cidade, Letícia Mendes, Majô Schwingel, Pedro Garcia, Rozana Ellwanger, Raisa Machado, Sancler Ebert, Vanessa Kannenberg; revisão: Josiléri Linke Cidade, Marisa Lorenzoni, Rodrigo Nascimento; diagramação: Débora Vogt, Gelson Pereira, Vanessa Kannenberg; direção de arte: Gelson Pereira, Lázaro Fanfa; ilustrações: Amanda Mendonça; fotos: Márcia Melz, Marisa Lorenzoni e Raisa Machado; Logotipo: Samuel Heidemann.Abraço a todos, bom descanso e bom final de semana.

16 de out de 2008

A descoberta de Verônica

O telefone toca por volta das 22 horas de uma quarta-feira qualquer de Santa Cruz do Sul. Chove. Muito. É a filha, Verônica. Quer saber se posso escutar o texto que ela fez e que foi selecionado para o concurso de redação do colégio em que estuda, o Sinodal, de São Leopoldo. Claro que posso. Ouço atençamente. A narrativa fala de silêncios e partidas. Mas também de consciência e superação. Desligo o telefone e volto para o escritório. Aos 13, Verônica já descobriu o que é necessário a um escritor saber.

15 de out de 2008

Aguardo vocês na Feira do Livro, moçada


13 de out de 2008

Jornal digital é feito para deficientes visuais

Interessante o post de Fernando Fermino veiculado no Blog do GJol, sobre inclusão digita.
Na íntegra: "O Jornal da Paraíba, vinculado ao portal Paraiba 1, lançou esta semana em Campina Grande - PB a primeira edição digital do Brasil para deficientes visuais (VDDV). Com recursos multimídia e interativo os deficientes visuais podem ouvir as notícias na íntegra da edição impressa do jornal. A tecnologia foi desenvolvida pelo próprio grupo de comunicação no setor de Métodos e Sistemas. O coordenador do setor e desenvolvedor do projeto, Washington Lima, explica como funciona o sistema: 'O setor de desenvolvimento criou uma tela sintetizada que emite sons a partir do movimento do cursor, denominado módulo de leitura eletrônica. Através deste recurso, o mouse passa a ser fundamental para quem quer se atualizar via internet, mas não tem visão ou não teve oportunidade de aprender a ler'. O projeto foi lançado na última quarta-feira e pode ser acessado em http://jornaldaparaiba.globo.com/dv/"

11 de out de 2008

Unicom aborda a morte e suas faces

Adianto aqui a capa da próxima edição do Unicom, o jornal-laboratório do curso de Jornalismo da Unisc, de Santa Cruz do Sul, onde também leciono. Para esta edição, que trabalhou em um regime extra-classe (não havia cadeiras previstas para o jornal), abordamos o tão difícil quanto instigante tema da morte. O resultado, editorial e gráfico, ficou bom demais, como aliás tem sido regra no Unicom. Destaque para o trabalho dos alunos Gelson Pereira e Lázaro Paz Fanfa, que cuidaram de toda a programação visual do jornal. Assim que ele tiver sido impresso, eu disponibilizo o PDF neste espaço. Por hora, dá pra ir curtindo o processo de produção - incluindo áudio e vídeo - por meio do Blog do Unicom. A capa, neste caso, é um aperitivo.
Os merecidos créditos: editora: Letícia Mendes; produção: Daiane Balardin, Marisa Lorenzoni, Utaipã Rodrigues, Vanessa Britto e Viviane Moura; reportagem: Ana Flávia Hantt, Daiane Balardin, Guilherme Mazui, Heloísa Letícia Pool, Josiléri Linke Cidade, Letícia Mendes, Majô Schwingel, Pedro Garcia, Rozana Ellwanger, Raisa Machado, Sancler Ebert, Vanessa Kannenberg; revisão: Josiléri Linke Cidade, Marisa Lorenzoni, Rodrigo Nascimento; diagramação: Débora Vogt, Gelson Pereira, Vanessa Kannenberg; direção de arte: Gelson Pereira, Lázaro Fanfa; ilustrações: Amanda Mendonça; fotos: Márcia Melz, Marisa Lorenzoni e Raisa Machado; Logotipo: Samuel Heidemann.
Abraço a todos, bom descanso e bom final de semana.

10 de out de 2008

Site mapeia relações de poder da mídia

Recebo de meu amigo Sandro Kirst, by Univates, um e-mail pra lá de importante, dando conta da criação do site Donos da Mídia.
A idéia é adaptar, em um contexto de internet, projeto de Daniel Hertz a respeito dos laços de redes e grupos de comunicação do País, bem como suas relações de controle/poder e outras entradas mais.
Segue a newsletter: “Produzido pelo Instituto de Estudos e Pesquisas em Comunicação (Epcom), de Porto Alegre, entidade parceira do FNDC, Donos da Mídia, que está em fase de finalização, lista 7.275 veículos de comunicação, abrangendo rádios (inclusive as comunitárias), televisão aberta e por assinatura, revistas e jornais.Relaciona também as retransmissoras de televisão. No caso dos jornais, registra somente os de circulação diária ou semanal”.
Chama atenção, de saída, algumas ausências, caso do Grupo Editorial Sinos (Gruposinos), com sede em Novo Hamburgo, - composto por três jornais diários, internet, rádio, canal de tevê a cabo, revistas e jornais voltados ao setor coureiro-calçadista –, bem com dos grandes portais (Terra, UOL, IG). De qualquer sorte, dados mais que relevantes em se tratando de pesquisa em jornalismo.

Edição de imagens em jornalismo

A quem interessar possa: estaremos lançando, na condição de autores/organizadores - eu, Fabiana Piccinin e Ângela Felippi - na 54ª Feira do Livro de Porto Alegre, o livro Edição de imagens em jornalismo (Edunisc, 2008). A idéia, como o nome sugere, é discutirmos em um contexto de redação, sala de aula e pesquisa, o tema edição, desta vez em uma perspectiva imagética. O livro traz entradas para televisão, design de impressos (jornais e revistas), fotografia, infografia, telewebjornalismo, jornalismo móvel e assessoria de imprensa. De minha parte, falarei sobre telewebjornalismo. Dia 8, na 54ª Feira do Livro de Porto Alegre, às 15h30. Também faremos lançamentos no 6º Congresso da Sociedade Brasileira dos Pesquisadores de Jornalismo (SBPJor), que este ano ocorre de 19 a 21 de novembro, em São Bernardo do Campo, São Paulo, e, claro, em Santa Cruz, desta vez às 10h30 do dia 29 de novembro, na cafeteria/livraria Iluminura (Centro). A capa é de Rudinei Kopp, o prefácio de Sebastão Squirra e a apresentação de Fabiana Piccinin. Assim que o livro estiver pronto aviso.

8 de out de 2008

A culpa, claro, é do encanador

Quem disse que milagres não existem? Na Itália, segundo matéria do UOL Notícias a partir da BBC Brasil, "moradores da cidade italiana de Marino, na região central do país, foram surpreendidos com o que parecia ser um milagre: das torneiras de suas casas começou a sair vinho branco, em vez de água". A explicação: todos os anos, para marcar o início da Festa da Uva e do Vinho de Marino, os moradores fazem uma contagem regrassiva ao redor da Fonte dei Quattro Mori, no Centro de cidade, quando a fonte, ao invés de água, jorra três mil litros de vinho branco. O problema é que, na hora de ligar as torneiras da fonte, os responsáveis se deram conta que o encanamento havia sido ligado errado. A culpa, portanto, é do encanador. Leia aqui a matéria na íntegra.

A vida de um blogueiro

É mortal: as incursões à blogosfera mais cedo ou mais tarde acabam no Blog do GJol, por bom. Neste caso, um post de Marcos Palácios - Os cinco estágios na vida de um blogueiro - remete ao Onlinejournalismblog.
Como o nome sugere, diz respeito, digamos assim, às etapas evolutivas de um blogueiro. Qualquer coincidência é mera semelhança.
O conceito é de Paul Bradshaw e os traços de Alex Hughes.

7 de out de 2008

Reflexões búdico-matinais

"Não podemos vencer a cólera e o ódio simplesmente suprimindo-os. Devemos cultivar empenhadamente seus antídotos: a paciência e a tolerância". Tenzin Giatso, 14º Dalai Lama.

4 de out de 2008

Olha a moçada ocupando seu espaço, gente!

Outro dia o Gelson Pereira começou a trabalhar na Gazeta do Sul, em Santa Cruz do Sul. Ontem, Márcia Melz me contou, com toda a emoção que ela tinha direito, que foi contratada pelo Estado (assessoria) para trabalhar fotografia. O Guilherme Póvoas, que já esteve no ABC Domingo, agora está do Rio de Janeiro. Em jornal, mas não lembro o nome. O Mauro Graeff Júnior, que já esteve no Jornal NH, está na Zero Hora. A Sâmia Franz, que também esteve no NH, agora está na sucursal da Zero em Santa Cruz do Sul. O Elstor Hansen está assessorando o PT em Novo Hamburgo. Júlia Sizinando, a Dona Júlia, traz de Florianópolis a revista - chique, diga-se - de tursimo que ela edita, depois de ter passado pela edição de televisão na Record. Carolina Sehnem, a Dona Carolina, edita o Arauto, de Vera Cruz. Sem contar a galera da Gazeta do Sul, by Santa Cruz do Sul, onde trabalha o Guilherme Mazuí, o Ricardo Düren e tantos outros mais, a moçada aos poucos vai ocupando sua história. Isso para ficarmos apenas nos alunos da Unisc com quem eu tive o privilégio de conviver em sala de aula. E que agora estão construindo um novo capítulo do jornalismo gaúcho. Maior orgulho de todos vocês.

1 de out de 2008

"Pede pra sair!"

Chupei da Folha On-line esta.
"O filme "Tropa de Elite", vencedor do Urso de Ouro no Festival de Berlim deste ano e que estreou no último dia 19 em Nova York, ganhará segunda versão para o cinema. O ator Wagner Moura aceitou interpretar outra vez o capitão Nascimento. A informação é da coluna Mônica Bergamo desta quarta-feira. A íntegra da coluna está disponível para assinantes do UOL e do jornal".
Veja a matéria completa aqui.