30 de abr de 2011

Um presente pra lá de bacana

Pra encerrar o sábado, o registro de um presente pra lá de bacana que recebi de Diólia Graziano, colega de pesquisa na rede Rede de Pesquisa Aplicada em Jornalismo e Tecnologias Digitais (JorTec).

Vilém Flusser

Trata-se, o presente, de site que hospeda alguns textos reunidos pelo Grupo de Estudos em Vilém Flusser da lavra do próprio.

O filósofo Vilém Flusser, tenho dito, é, ao lado do sociólogo Niklas Luhmann, um dos pensamentos mais vigorosos do século que se encerrou ali atrás e cujos ecos ouviremos por algum tempo ainda.

Fundamentais à compreensão dos dias que se seguem em seu aspecto comunicação, diria ainda.

26 de abr de 2011

Concurso de cartum universitário

Para entender as mídias sociais - o livro

21 de abr de 2011

Para entender as mídias sociais

Por e-mail chega a notícia de que e-book “Para Entender as Mídias Sociais” será lançado dia 25 de abril, uma segunda-feira, às 17 horas.

Pelo que inferi, sem encontro presencial, mas com liberação do link para download gratuito da obra em dois sites: http://paraentenderasmidiassociais.tumblr.com e http://paraentenderasmidiassociais.blogspot.com

36 autores debruçados sobre temas que atravessam as redes de relacionamento como Política, Educação, Celebridades, Jornalismo, Mobilidade, Relevância, Mercado de Agencias e tantos outros.

Prefácio e apresentações por conta de Juliano Spyer, Edney Souza e Raquel Recuero.

A publicação está dividida em 5 núcleos: Bases, sobre plataformas, linguagens, tecnologias e ambientes por onde as redes acontecem; Mercado, enfatizando assuntos ligados à comunicação e empresas; Redação, com foco ao uso das mídias sociais pelo jornalismo e seus desdobramentos; Persona, dedicado à cultura pop e seus sub-produtos e, por fim, Social, tocando em temas fundamentais para a sociedade que estão presentes de modo significativo nas redes de relacionamento.

Assim que tiver lido, comento.

20 de abr de 2011

Quem quer ser um Foca do Q?

Iniciou-se hoje, no Curso de Comunicação da Unisc, as chamadas para a sétima edição de um projeto de extensão bem bacana que mantemos em parceria com o jornal Gazeta do Sul, aqui de Santa Cruz do Sul, por meio do Caderno Q?, suplemento jovem da Gazeta.

A idéia, dessa vez, é que um grupo de dez alunos dê conta de uma edição inteira do Q?, incluindo, nesse processo, diálogos convergentes por meio do uso de linguagens como áudio e vídeo.

Mais adiante eu conto mais. Abaixo, o cartaz chamando para a seleção.


Mais um projeto saindo do forno

Mais um projeto de extensão saindo do forno, parceria entre o jornal Folha do Mate, de Venâncio Aires, e o Curso de Comunicação da Unisc.

Chama-se Bate-papo Pilhado.

A idéia é que alunos de todas as habilitações apliquem seus conhecimentos em um evento voltado aos estudantes do Ensino Médio de Venâncio Aires, cujo tema será, nessa quarta edição, "O que você fará amanhã".

18 de abr de 2011

V Colóquio Leitura e Comunicação

O Programa de Pós-Graduação em Letras, juntamente com os Departamentos de Letras e Comunicação Social da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), realizarão, de 17 e 26 de agosto de 2011, em Santa Cruz do Sul - RS, o V Colóquio Nacional Leitura e Cognição - Olhares do contemporâneo sobre os textos: hermenêutica, cognição/conhecimento e comunicação e XII Semana Acadêmica de Letras.

O evento tem por objetivo aprofundar estudos sobre a leitura a partir de uma perspectiva inter/transdisciplinar que contemple as áreas da cognição/conhecimento, hermenêutica e das teorias sobre a comunicação humana.

Presenças confirmadas:

Prof.ª Dr. Maria Lucia Santaella Braga (PUC/SP),
Prof.ª Dr. Vera Lúcia de Oliveira (Università degli Studi di Perugia),
Prof. Dr. Luis Motta (UnB),
Prof. Dr. Gustavo Bernardo Galvão Krause (UERJ).

Cronograma para submissão de trabalhos

Inscrição e submissão: até 30 de junho de 2011
Os resumos deverão conter de 400 a 500 palavras.
Aceite: a partir de 18 de julho de 2011
Comunicações: estão agendadas para quarta-feira, dia 17 de agosto de 2011, no turno da tarde. A comunicação terá duração de 15 minutos por trabalho inscrito e 5 minutos para debate. Será disponibilizado datashow.

Publicação do Trabalho Completo:
os trabalhos selecionados poderão ser encaminhados para o email mestradoletras@unisc.br, até dia 30 de setembro de 2011. Os trabalhos encaminhados serão selecionados para compor a Edição Especial V Colóquio Nacional Leitura e Cognição da revista Signo (Qualis B2
http://online.unisc.br/seer/index.php/signo).

Os trabalhos devem estar vinculados às seguintes temáticas:

Leitura e interdisciplinaridade
Leitura e processos cognitivos
Texto e hermenêutica
Compreensão leitora
Narrativa comunicacional

Inscrições com submissão de trabalhos (resumo): R$ 50,00
Prazo: De 25 de abril a 30 de junho de 2011.

Inscrições sem submissão de trabalhos (resumo): R$ 30,00
Prazo: De 25 de abril a 15 de agosto 2011.
Inscrições alunos UNISC (PPGL e Curso de Letras)Deverão fazer o pagamento de R$ 5,00, referente ao certificado, na Secretaria de Pós-Graduação e Extensão (SPGE), sala 110, bloco 01, Campus UNISC - Santa Cruz do Sul - RS

Mais informações mestradoletras@unisc.br.

Organizadores:Coordenação Geral:
Prof.ª Dr. Eunice Terezinha Piazza Gai -

Coordenação Executiva:Prof. Dr. Demétrio de Azeredo Soster e Prof.ª Dr. Mônica Elisa Dias Pons

Coordenação de Área:Prof. Dr. Jorge Alberto Molina e Prof.ª Dr. Rosane Maria Cardoso

16 de abr de 2011

Radiojornalismo hipermidiático

A LabcomBooks lançou, na semana, o livro “Radiojornalismo Hipermidiático”, de Débora Cristina Lopes.

Sobre a relação entre rádio e convergência.

O tema foi objeto de tese da autora em em 2009 junto ao POSCOM da UFBA, pela qual recebeu o Prêmio Adelmo Genro Filho – Categoria Doutorado da SBPJor.

Clique na capa para ter acesso à versão em PDF.


15 de abr de 2011

Cofibercom abre chamada para trabalhos

Carlos Franciscato e Sérgio Luiz Gadini convidam a todos, na condição de coordenadores da sessão temática 8 (Jornalismo) do I Congresso Mundial de Comunicação Ibero-Americana (Cofibercom), a submeter trabalhos para apresentação no evento.

O Cofibercom se realiza entre os dias 1 a 6 de agosto 2011, em São Paulo, com apoio da Socicom, Federação Nacional das Sociedades Científicas de Comunicação, entidades associadas e ECA/USP.

Abaixo, ementa, formato dos trabalhos, prazos etc.

ST Jornalismo
Ementa:
Busca estimular a apresentação de reflexões e pesquisas sobre o jornalismo em suas dimensões conceitual, produtiva, mercadológica e interacional com a sociedade. Para isto, o jornalismo deve ser um tema ou objeto a ser analisado por diferentes disciplinas, teorias e metodologias, procurando considerar perspectivas históricas de sua constituição e influência social, bem como as transformações contemporâneas conduzidas particularmente pelo impacto das tecnologias digitais e em rede e das novas possibilidades e experiências colaborativas.

Formato dos trabalhos
O autor deve encaminhar um resumo entre 1,5 mil a 2 mil caracteres (incluindo espaços), indicando a Sessão Temática. Os resumos serão recebidos de 03 de janeiro de 2011 a 25 de abril de 2011 através da página do Congresso e serão avaliados por um Comitê Científico em relação à pertinência ao campo da pesquisa em comunicação ibero-americana, aos tema e subtemas do Confibercom 2011. O resultado da seleção dos trabalhos será divulgado no dia 16 de maio de 2011 na página do congresso no site da Socicom.

Os autores que tiverem seus trabalhos aceitos poderão enviar o texto completo até 15 de junho de 2011, para o terem disponível no hostsite do Congresso. Aqueles que não enviarem o trabalho completo no prazo indicado, devem fazê-lo no prazo de um mês após a conclusão do Congresso, de modo a que o texto possa ser incluído no e Book a publicar. O texto deve conter de 20 mil a 35 mil caracteres (com espaços), já inclusas as referências bibliográficas e notas de rodapé. São obrigatórios os seguintes itens: título, resumo de até 10 linhas, cinco palavras-chave, resumo do currículo do autor em até 3 linhas (incluindo sua vinculação institucional).

O texto deve ser redigido em fonte Times New Roman, corpo 12, entrelinhamento 1,5. Citações recuadas devem ser redigidas em corpo 10, espaço simples. O tamanho total do arquivo não deve exceder 2 Mb (dois megabytes). O autor deve redigir seu texto utilizando o modelo elaborado para o encontro, disponível no site do evento.

Prazo de inscrição

Os trabalhos serão recebidos de 03 de janeiro de 2011 a 25 de abril de 2011, através da página do Congresso na internet.

Critérios de avaliação:

O trabalho será avaliado por um Comitê Científico, em relação à pertinência ao campo da pesquisa em comunicação ibero-americana, aos tema e subtemas do Confibercom 2011.

Resultados:

O resultado da seleção dos trabalhos será divulgado no dia 16 de maio de 2011 na página do congresso e no site da Socicom.


Inscrições e informações podem ser em http://www.confibercom.org/congresso/pt/trabalhos

12 de abr de 2011

Sobre homenagens e gratificações

Poucas coisas são tão gratificantes, em especial depois de um dia de três turnos de trabalho, quando o corpo não parece responder a mais nada, que ter sua aula literalmente invadida por uma comissão de formandos e ser convidado, assim, de chofre; sem dó nem piedade, para ser o professor homenageado da turma de jornalismo.

Em especial quando os que convidam representam tanto para você.

Bom demais.

Momentos dos 1º EGEJ e 1º FSPJ

As fotos são dos alunos Luis Habekost e Marcellus Vinicius, do curso Tecnólogo Superior em Fotografia da Unisc.

10 de abr de 2011

Sobre os 1º EGEJ e 1º FSPJ

No sábado à noite, por volta das 20 horas, depois que os últimos congressistas foram embora, preparei um cachimbo (sim, eu fumo cachimbo) com o cuidado de uma primeira vez, sentei-me nos bancos que existem sob os ingás defronte ao bloco 15 da Unisc, onde trabalho, e lancei sem pressa a fumaça do tabaco em direção às estrelas da noite azul de Santa Cruz do Sul.

Encerrava-se, naquele momento, uma jornada que havia se iniciado ainda no ano passado, no encontro da Intercom de Caxias do Sul, e que havia sido particularmente intensa desde o dia anterior, quando da abertura dos trabalhos dos 1º Encontro Gaúcho de Ensino de Jornalismo (1º EGEJ) e 1º Fórum Sul-brasileiro de Professores de Jornalismo (1º FSPJ). Um encontro de 150 professores e alunos de jornalismo, representando IES dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que se reuniram na Unisc, para, juntos, discutirem o jornalismo em seus aspectos ensino, pesquisa e extensão.

Explico: é que, ainda no ano passado, na Serra gaúcha, em reunião com o presidente e a vice do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ), Sérgio Gadini e Mirna Tonus, comprometi-me, na condição de subcoordenador do Curso de Comunicação da Unisc e vice-diretor editorial e de comunicação do FNPJ, a realizar, pela primeira vez, uma edição regional do Fórum no Rio Grande do Sul. Desse encontro, e das conversas posteriores, nasceu a convicção que deveríamos utilizar o momento seminal para aglutinar os três estados do Sul, o que também não havia ocorrido ainda. E assim foi feito, marcando, dessa forma, também um novo período do Curso de Comunicação da Unisc, focado em grandes eventos (os próximos serão o Colóquio das Agências de Comunicação, para 2012, e o Intercom Regional de 2013).

Não foi pouco o trabalho, e o volume de preocupações, que se se sucederam desde então. O apoio dos companheiros do FNPJ, aos quais agradeço publicamente por aqui, foi fundamental nesse processo, bem como da Unisc, que, por meio do reitor Vilmar Thomé, a quem igualmente agradeço, não apenas avalizou a realização dos 1º EGEJ e 1º FSPJ como deu condições para que os mesmos se realizassem a contento.

É relativamente fácil imaginar o que significaram esses meses todos: imagine-se, caro leitor, cara leitora, organizando um congresso da dimensão de três estados pela primeira vez com pouco mais que a vontade de fazê-lo. A etapa mais tranqüila, e aqui a experiência dos colegas de FNPJ foi fundamental, disse respeito a estatutos, regulamentos etc, haja vista que todos foram muito generosos na transferência dos conhecimentos adquiridos em eventos semelhantes realizados ao longo do Brasil em anos anteriores. O resto foi trabalho braçal e vontade.

Tarefa difícil, sem dúvida, mas também extremamente prazerosa, à medida, ao passo em que as tarefas se acumulavam, forças se uniam em torno da proposta maior, a quem agradeço nominalmente a partir desse momento.

O primeiro agradecimento vai para as colegas de gestão, Mônica Pons, Ângela Felippi e Fabiana Piccinin, respectivamente chefe e sub de Departamento e coordenadora do Curso de Comunicação. Mais que dividirem comigo a organização local do evento, como disse na fala de abertura dos eventos, dia 8, sem a ajuda delas nada disso teria sido possível.

Um obrigado muito particular, também, ainda no âmbito da Unisc, aos coordenadores das agências experimentais de Comunicação: Yhevelin Guerin e equipe, da agência de PP; Mônica Pons e equipe, da agência de RP; Stéfanie Carlon e equipe, da Agência de PMA; e, finalmente, a Hélio Edges e equipe, da agência de Jornalismo. Todos fundamentais para a realização dos trabalhos.

O outro agradecimento vai para os professores, mais que colegas, amigos, que aceitaram o desafio de coordenar os seis Grupos de Trabalho (GTs) dos 1º EGEJ e 1º FSPJ. Falo de Sandra de Deus, da Ufgrs, responsável pelo GT Atividades de Extensão; de Sérgio Gadini, da UEPG, do GT Ensino de Ética e Teorias do Jornalismo; de Marcos Santuário, da Feevale, do GT Pesquisa na Graduação; de Cárlida Emerin, da UFSC, do GT Produção Laboratorial: Eletrônicos; e de Edelberto Behs, da Unisinos, coordenador do GT Projetos Pedagógicos e Metodologias de Pesquisa. (O sexto GT, Produção Laboratorial: impressos, ficou aos meus cuidados). A todos vocês, meu mais profundo reconhecimento.

Também se faz necessário agradecer aos professores Christa Berger e Antônio Hohlfeldt, pelo brilhante painel de abertura, ainda na sexta, 8. Todos aprendemos muito, uma vez mais, com eles.

E à equipe receptiva, que não apenas acreditou na proposta como fez ela acontecer, e bem, por meio de seu trabalho. São eles:

Lucas Adolfo Baumhardt, Emilin Grings Silva, Rafaela Medeiros, Carine da Silva, Joana Fernanda Scherer, Leticia Pereira, Ana Flávia Hantt, Berenice Bohnen, Pedro Garcia, Carina Martins, Ana Gabriela Vaz, Lisane Marques, Vanessa Kannenberg, Letícia Petry, Débora Paz Menezes, Sabrina Heming, Vanessa Oliveira,Renan Silva da Silva, João Cléber Caramez, Luciana Bastos, Letícia Lorensini, Luísa Ziemann, Giuliane da Silva, Cauana Rubert, Bianca Cardoso Batista, Larissa Almeida, Viviane Moura, Vanessa Schuler, Juliana Spilimbergo,Thamires Waechter, Larissa Assis, Tamara Freitas, Francisca Macedo, Daniela Lemes,Lucas Ferreira, Camila Barbosa, Andréia Bueno, Gabriel Tassinar, Letícia Pereira, Marcellus Vinicius, Luana Backes e Luis Habekost, Francine Weis e Vanessa Britto.

Um último agradecimento, por fim, a cada um dos alunos e professores das 24 IES presentes nos 1º EGEJ e 1º FSPJ que deixaram suas casas e trabalhos e que, não raro, viajaram 10, 12, 14 horas para estarem entre nós. Todos eles docentes e alunos da Feevale, Unochapecó, Ufrgs, Unisc, UFSM, Univates, UEPG, Ielusc, Unifra, UFSC, ESPM, IPA, Universidade do Tocantins, UDC, Unisinos, Unicruz, UCS, PUC-PR, Unisul, Ulbra, IERGS, Unoesc, Esade, Uniarp e UFPel.

A todos vocês, e a quem não citei aqui, uma vez mais, meu muito obrigado. Aos poucos vou contanto como tudo isso se deu.

5 de abr de 2011

Hacking Journalism no Neofluxo

Por e-mail, Walter Lima avisa que:

"O Grupo de Pequisa Tecnologia, Comunicação e Cultura de Rede (Teccred), pertencente ao Programa de Pós-graduação da Cásper Líbero, realiza no próximo sábado (09/04), das 8 às 17 horas, o curso de Hacking Journalism no Neofluxo, na sala Petrobras, no quinto andar do Prédio da Fundação Cásper Líbero. A oficina visa capacitar tecnicamente os pesquisadores do grupo para o segundo estágio do projeto Neofluxo (http://www.neofluxo.net/index.php), apoiado pelo CNPQ.

O objetivo principal do Neofluxo é identificar o comportamento do fluxo informacional nas redes sociais durante o processo eleitoral através de dados coletados nos canais oficiais (Flickr, site, Twitter, YouTube, Facebook) e menções específicas no Twitter sobre três dos candidatos à presidência. O segundo estágio do projeto será encontrar relações entre os 20 milhões de dados gravados, nas mídias sociais no período da eleição majoritária no Brasil em 2010, que revelem se foram produzidos fluxos informativos direcionados por militantes das campanhas da Dilma, Serra e Marina.

O curso será ministrado por Walter Lima (jornalismo computacional), Maurício Maia (prática: programação e o Neofluxo) e Carol Pietoso (prática: Visualização de dados). A equipe irá mostrar como os dados do Neofluxo, disponibilizados em “formato aberto” na web, podem ser apropriados pelos pesquisadores do Teccred para que eles construam visualizações em torno das informações disponíveis".

SBPJor já recebe a anuidade 2011

Kênia Maia, diretora-administrativa da SBPJor, avisa que a entidade já está recebendo a anuidade 2011, cujo prazo limite para a quitação é dia 06 de junho.

Os valores permanecem os mesmos de 2009 e 2010:

110 reais para Associados Plenos (doutores);
82 reais para Associados em Formação (de graduados a doutorandos);
55 reais para Associados Iniciantes (alunos de graduação).

A anuidade poderá ser quitada por depósito bancário direto na conta da SBPJor (transferência entre contas, depósito ou doc).

A conta da SBPJor é do Banco do Brasil, Agência 1668-3, Conta corrente 31.050-6. O CNPJ da SBPJor, caso necessário, é 06.290.665/0001-63.

Após o pagamento, envie uma mensagem para diretoriasbpjor@gmail.com anexando a cópia digital do comprovante de depósito.

Comemorar é preciso. Sempre

Desde há muito compreendi que comemorar os avanços, por menor que sejam, é fundamental para nos mantermos vivos; para que não esqueçamos, ao final, que somos gente, e que gente, como naquela música, acho que do Caetano, "é pra brilhar, não pra morrer de fome".

Digo isso porque foi muito legal receber, na tarde de segunda, 5, as sacolinhas que serão utilizadas nos 1º EGEJ e 1º FSPJ, a exemplo do que havia ocorrido antes com os cartazes, camisetas etc.

Ficaram muito legais, dignas de um registro fotográfico, feito por Marcellus Vinicius, aluno do Tecnólogo Superior em Fotografia da Unisc.

Cinco livros para download

Via @palacios49 chega a notícia de cinco livros sobre Comunicação e Design, da Editora Cultura Acadêmica, disponíveis para livre download.

Isso a partir do Blog do Gipo.

Talentos da Comunicação seleciona

A segunda edição do programa de extensão Talentos da Comunicação, que desenvolvemos, na Unisc, em parceria com o Grupo Gazeta de Comunicação, já está selecionando candidatos que estejam cursando a partir do 4º semestre de todas as habilitações.

A idéia é que os 20 alunos selecionados para esse edição, de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas, produção em mídia audiovisual e também do tecnólogo superior em fotografia, interajam por pelo menos 50 horas junto aos setores e veículos do Grupo Gazeta - 15 de observação e 35 dedicadas às tarefas práticas.

Isso para que tenham a oportunidade de interferir, com o conhecimento adquirido em sala de aula, no mercado de trabalho, e ser interferido por essas práticas, complexificando um e outro e agregando mais valor aos seus currículos.

A seleção será feita a partir do currículo acadêmico dos candidatos (participação em eventos do curso, como palestras, oficinas, atividades extra-classe, pesquisa etc.).

Abaixo, o cartaz do projeto. Clique na imagem para ampliá-la.

3 de abr de 2011

#prontofalei

A coluna do Ombudsman da FSP desse domingo, #prontofalei, discute um assunto de primeira importância nesses dias de reconfiguração de fazeres e formas: os cuidados, direitos e deveres que devem ter os jornalistas quando suas vozes, pelo viés de dispositivos 2.0, principalmente, ganham alcance para além das redações.

O tom é de natureza moral; trata-se, sem dúvida, de uma questão ética à medida que discute o corportamento dos jornalistas, mas há outros pontos de igual relevância a serem considerados na tessitura do texto de Suzana Singer.

O mais evidente, a meus olhos, é a reconfiguração espaço-temporal que se estabelece na vida dos jornalistas em determinado cenário, personificada, em termos de forma, de um lado, pelos nós e conexões da web, enquanto que, por outro, pela diferença que o fazer jornalístico per si representa quando em contato com os fazeres dos demais campos sociais.

Por esse viés, por exemplo, a tendência é que sejamos jornalistas não apenas nos lugares em que estamos acostumados a sê-lo, e esse alargamento complexifica, claro, para além da ética, as questões organizacionais também, mas muda, inclusive, o "ser-se", a "forma como se está", o "lugar de onde se diz", o que exige, uma vez mais, novas e sucessivas gramáticas interpretativas.

Negar essa perspectiva é ficamos presos às velhas formas/fórmulas e a discussão não avançar.

Para quem não tem acesso ao UOL, reproduzo abaixo a coluna.


"A BLOGOSFERA dá a qualquer um a chance de divulgar o que passa pela sua cabeça a todo momento. No jornalismo, sem o filtro da edição, essa modernidade tem sido uma fonte de problemas. Na quarta-feira passada, após o anúncio da morte de José Alencar, havia no Twitter:

Repórter da Folha: "Nunca um obituário esteve tão pronto. É só apertar o botão."

Repórter do Agora: "Mas na Folha.com nada ainda... esqueceram de apertar o botão. rs" (risos)

Repórter da Folha: "Ah sim, a melhor orientação ever. O último a dar qualquer morte. É o preço por um erro gravíssimo."

Um diálogo ruim, de todos os pontos de vista. É insensível jogar na cara do leitor que há obituários prontos à espera do momento de publicação. Não faz sentido um jornalista criticar, publicamente, um site da mesma empresa. E não deixa de ser desagradável lembrar um problema recente -a divulgação errada, pela Folha.com, da morte do senador Romeu Tuma.

Em janeiro, um fotógrafo colaborador do "Agora", que cobria as eleições para presidente do Palmeiras, escreveu: "Enquanto os porcos não se decidem poderiam mandar mais lanchinhos e refrigerante para a imprensa que assiste ao jogo do Timão na sala de imprensa". A reação foi rápida e violenta: ele apanhou de seguranças do time.

É difícil convencer jornalistas de que suas contas no Twitter, Facebook ou Orkut não podem ser encaradas apenas como pessoais. O repórter é seguido, curtido, recomendado, também como um representante do lugar em que trabalha.

Em um comunicado de 2009, que merece ser atualizado, a chefia da Redação lembrava que todos devem seguir os princípios do projeto editorial quando estiverem on-line.

Seria bom esmiuçar isso. Jornalista não pode declarar voto político, xingar artistas, amaldiçoar o time de futebol rival, bater boca com leitores, expressar preconceito nem tentar obter vantagem pessoal (reclamar, por exemplo, do mau atendimento num restaurante para que saibam que ele é da imprensa).

É muito limitante, mas o repórter precisa considerar que amanhã poderá ser cobrado por uma opinião "inocente". Em um plantão, alguém de Esporte pode ser designado para entrevistar determinado político. E se ele tiver postado, dias antes, que o sujeito é um "corrupto contumaz"?

Quem mais luta pela liberdade de expressão precisa restringir a própria para não perder a razão."