3 de fev de 2010

Bucci fala aos jovens jornalistas

Aos que, como eu, acreditam que a consolidação do campo de jornalismo passa necessáriamente pela formação em jornalismo, de alunos e professores, recomendo a leitura do discurso que Eugênio Bucci realizou em janeiro na cerimônia de formatura de alunos da Uniara, em Araraquara (SP), da qual foi patrono.

Tomei conhecimento dele por meio do twitter do Observatório de Imprensa.

Fala, sobretudo, de comprometimento; do que o jornalismo significa para a sociedade e da responsabilidade que nós, professores, temos para com a formação destes profissionais.

Um trecho, específico sobre o diploma:

"(...) Volto então a falar, apenas de passagem, das aflições que eu sei que estão por aí a espreitá-los. Entre todas, a mais comentada talvez seja mesmo a decisão judicial que teve enorme repercussão nos nossos cursos: o fim do diploma obrigatório para o exercício da profissão de jornalista.

"Não se deixem abater por isso. O diploma específico em jornalismo não é exigido para profissionais de imprensa em democracias de maior tradição que a nossa – de onde vêm, aliás, alguns dos principais ensinamentos do ofício que exercemos.

"Não é porque o diploma é obrigatório que a profissão se torna melhor ou pior. São várias as profissões no Brasil que não requerem diplomas específicos. Isso não é um problema em si – e não deve, por um minuto sequer, fazê-los acreditar que o futuro será pior.

"O que conta é que vocês se diplomaram, tiveram aulas com grandes professores, e que isso os habilita de forma diferenciada a exercer essa função pública que é a de informar o cidadão e fiscalizar o poder. Há uma imensa estrada aberta para vocês. Não duvidem disso. (...)"

É um pouco do que temos dito/discutido dentro e fora das salas de aula; um pouco do tudo em que acreditamos.

O texto pode ser lido na íntegra por aqui.

0 comentários: