25 de jun de 2009

Uma aula para ficar na memória

A foto aí do lado, creio que do Fábio Goulart, registra o momento em que meus amados alunos de Técnicas de Reportagem da Unisc, onde também leciono, resolveram comemorar, digamos assim, de forma bastante criativa o aníver do profe (neste caso, eu). Ou seja, entupiram-me de maçãs, literalmente. Contextualizando: na aula de ontem, antes de assistirmos ao filme "Crônica de uma certa Nova York", do Stanley Tucci, alguém perguntou capciosamente algo mais ou menos assim:

- Profeeeeeeeee...., do que é que o senhor sempre se queixou durante o semestre; logo no início da aulas?

Embriagada de sono, depois de uma noite de vigília em que o Pedro, meu filho, não deu folga, não me dei conta da, digamos assim, armadilha que se avizinhava.

- Sei lá. - Disse.

Ao que eles responderam, agora em coro:

- O senhor sempre reclamou que não recebe agrados; que antigamente os alunos sempre levavam maçãs para os professores.

- É?

- Haaaaaaaaaaaaaan! Haaaaaaaaaaaaaan! (algo como: é verdade; o "é" bem espichado, para dizer maliciosamente que isso de fato foi assim)

- ...

Logo meus braços se mostraram pequenos para tantas maçãs. E para as duas limas que o Luis, por entender que não há muitas diferenças entre limas e maçãs, afinal todas são frutas, e as limas estavam mais à mão, fez questão de levar. Façam os cálculos: só ali são 13 maçãs e duas limas. Mais tarde chegaram mais maçãs. Creio que duas. Logo depois, um "parabéns a você" pra lá de bacana, em comemoração aos 42 anos que completei na semana passada. E eu sem fazer a menor idéia de onde deveria colocar minhas mãos.

São momentos como estes, realizados e vividos de forma tão espontânea quanto amorosa e reconhecida, que dão sentido aos dias e ao caminho que nos propomos a seguir, alunos e professores. Caminho este muitas vezes pesado, muitas vezes difícel, mas, sobretudo, bom, porque repleto de vontade de viver.

Aos que chegaram a tempo para a foto, e aos que vieram na seqüência, meu muito obrigado!

OBS. O filme não era lá estas coisas, mas a aula foi um algo: teve até "nega maluca", pipoca, amendoin torrado e chimarrão. Para desespero das "tias" da faxina, imagino.

6 comentários:

Vanessa Kannenberg disse...

Operação Macã foi um sucesso! Todos nossos objetivos foram alcançados: enxer os braços do profe de maçãs; surpeedê-lo; alimentar o Pedro com muita vitamina até seus 15 anos; e evitar que a pergunta seja repetida ("trouzeram agrados para o professor, hoje?").
Feliz aniversário mais uma vez! Esse dia, com certeza, vai ficar guardado.
abrsços!

Pedro Piccoli Garcia disse...

É verdade. O filho do Demétrio (que, aliás, honra o pré-nome com sua simpatia e beleza) tem papinha garantida até a puberdade.

Acho que, para marcar os "finalmentes" do semestre (que foi cansativo, mas indubitavelmente proveitoso), a brincadeira valeu.

Da próxima vez, podemos pensar em algo diferente. Gosta de melancia, professor?

Marília Nascimento disse...

A frase do dia de ontem foi: Operação Maçã concluída com sucesso! Turma organizada é outra história, apesar das duas limas e do furo que o Luis deu no twitter nada atrapalhou e o Profe nem sonhava com este presente. Com os objetivos alcançados, como o Predo e a Vanessa já disseram. Resta esperar a próxima disciplina e pensar em outro presente, melância, jaca, melão,... uma infinidade de escolhas. Profe, qual prefere? Ah, feliz aniversário! (mais uma vez) ;**

Igor disse...

Foi divertido. Sem dúvidas, um dia para ser lembrado...

Ana Cláudia Schuh disse...

"Operação Maçã concluída com sucesso!" Repetitivo, eu sei, mas depois de uma semana de planejamento, segredo (que quase foi descoberto graças ao Emo e seu twitter) e preparação, podemos repetir essa frase quantas vezes quisermos!
Orgulhe-se de seus alunos, profe! Somos unidos, organizados e temos mentes férteis!

PS.: Daqui a pouco entrego a reportagem de hoje!

Fabi disse...

O Pedrinho agradece as maças.