27 de fev de 2011

Por que as escolas ensinam religião?

Matéria de abertura do Caderno Cotidiano da FSP de hoje afirma, com base em pesquisa realizada pelo Inep desde 2009: "Metade das escolas tem ensino religioso".

E a linha de apoio completa: "São 98 mil colégios, públicos ou privados, oferecendo a disciplina, segundo censo da educação básica do MEC".

Isso em termo de Brasil.

Ao que pergunto: por quê?

Mais importante seria se essas mesmas escolas oferecessem, na mesma proporção, por exemplo, filosofia, ou, quem sabe, sociologia, para ficarmos em duas das ditas humanas.

Não que a perspectiva judaico-cristã, e as culpas, preconceitos e medos decorrentes dela, não devam ser estudadas: devem, claro.

Mas como componentes de um contexto mais amplo, em uma abordagem sócio-evolutiva, por exemplo, onde se igualam, em termos de importância, a toda e qualquer forma de credo, do espiritismo ao daime.

Caso contrário viram doença social; fragilizam o homem no que ele tem de melhor.

E doenças, sabemos, são ruins sob muitos aspectos.

0 comentários: